segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Os terroristas

Ontem (27), faleceu o médico e escritor portoalegrense Moacyr Jaime Scliar, aos 73 anos.
 Diante do ocorrido a Academia Brasileira de Letras decretou luto de três dias.
Resolvi postar uma crônica desse imortal, que se considerava perfeccionista em relação aos textos que escrevia.
Aproveitem a leitura:



OS TERRORISTAS

Era um professor duro, exigente e implacável. As provas eram feitas sem aviso prévio. Todos os trabalhos valiam nota e eram corrigidos segundo os critérios mais rigorosos. Resultado: no fim do ano quase todos os alunos estavam à beira da reprovação. As notas - que ele anotava cuidadosamente no livro de chamada - eram as mais baixas possíveis.
O que fazer? Reuniam-se todos os dias no bar em frente ao colégio para discutir a situação, mas nada lhes ocorria. Até que um deles teve uma ideia brilhante.
O livro de chamada. A solução estava ali: tinham de se apossar do livro de chamada e mudar as notas. Um  0 poderia se transformar em 8. Um 1 poderia virar 7      (ou 10, dependendo do grau de ambição).
                   O problema era pegar o livro, que o professor não largava nunca - nem mesmo para ir ao banheiro. Aparentemente, só uma catástrofe poderia separá-los.
                   Recorreram, pois, a catástrofe. Um dos alunos telefonou do orelhão em frente ao colégio, avisando que havia um principio de incêndio na casa do professor. Avisado, o pobre homem saiu correndo da sala de aula - deixando sobre a mesa o famigerado livro de presenças.
                   Acreditareis se eu disser que ninguém tocou no livro? Ninguém tocou no livro. Os rapazes se olhavam, mas nenhum deles tomou a iniciativa de mudar as notas. Às vezes a consciência pesa mais que a ameaça da reprovação.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Procura

Estou à procura de palavras
Que não digam
O que eu não quero dizer
Palavras que sussurrem
O que não pode ser ouvido
E que só sejam ouvidas
Por quem não pode entender
Vocábulos abandonados pela estrada
Pois quem não pôde usá-los
Soltou-os pelo ar
Procuro a tais
Revejo o caminho
Reviro as folhas amassadas
Mas não consigo encontrar
Caço palavras selvagens
Que com suas garras afiadas
Possam dilacerar um coração
E ao mesmo tempo
Com seus olhos de pedido
Peçam pra ser meu bicho de estimação.
Preciso delas com toda minha alma
As espero com todo meu ardor
Hora não tenho, outra hora tenho calma
Quero aguardar, outra hora tenho horror.
Palavras agitadas como o mar
Ou simplesmente calmas como um rio
Palavras que deixei de ouvir e de falar
E chego a pensar que esse tipo de palavra
Nunca existiu.


Texto de: Thaís Carvalho que vi no: http://www.confrur.blogspot.com/

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Morar junto, sem casar, causa depressão

Vocês querem ser modernos e práticos, deixam todo aquele papo de altar, convites com frufru e bolo de vários andares pra lá, juntam as trouxinhas e vão morar juntos. Pronto: na prática, estão casados. Mas, também na prática, têm chances bem maiores de acabarem de cara feia e sem vontade de sair da cama (pelos motivos errados) do que os casais de papel passado. “Casais que apenas moram juntos reportam níveis mais altos de depressão do que os que são casados”, alertam pesquisadores da Bowling Green State University, em Ohio (EUA). O motivo? Aquele sentimento de falta de estabilidade no relacionamento, que atinge os “juntados” 25% mais do que os casados pela lei. “E isso é especialmente verdade entre os casais que estão juntos há muito tempo”, diz o estudo. E aí, quer repensar essa modernidade toda?

Vi no: http://super.abril.com.br

Cuidado com a sujeira do seu celular

Parece piada, mas é a mais pura verdade. Uma pesquisa científica recente mostrou que um celular pode ser tão sujo quanto a sola de um sapato. Se você também anda para lá e para cá com o celular sem se preocupar com a higiene, cuidado! Esse aparelhinho inocente pode abrigar ouvintes intrusos.
É fácil entender por que o celular é um esconderijo perfeito para bactérias.
“O celular tem bactérias que vêm da saliva. Agora, você junta essa saliva, mais as bactérias, mais o calor do corpo, e tem toda a condição para elas se multiplicarem à vontade”, explica o biomédico Roberto Figueiredo. A pesquisa em questão foi feita na Inglaterra.
O biomédico Roberto Figueiredo recolheu amostras dos celulares e também das solas dos sapatos. Depois ele limpou os mesmos celulares e fez nova coleta. Tudo foi levado para o laboratório. O resultado das análises comprovou: um celular tem tanta bactérias quanto uma sola de sapato.
“Só que as origens são diferentes. No celular, essas bactérias vêm da saliva ou da mão da pessoa que segura esse celular. Na sola do sapato, as bactérias vêm de diversas origens, como o solo, terra, poeira. Mas não fique assustado, você tem resistência suficiente para impedir que elas causem alguma doença. A não ser que você tenha algum problema de saúde que deixe sua resistência comprometida”, explica o biomédico.
A análise feita nos celulares limpos mostra o efeito de uma simples “faxina”. Para deixar seu celular livre de bactérias é só passar algodão ou lenço de papel com um pouquinho de álcool isopropílico.”Este álcool é volátil e não chega a atrapalhar o mecanismo do celular. E onde vai encontrar? Na farmácia, em qualquer farmácia”, ensina Roberto Figueiredo.
Limpar o celular uma vez por semana resolve o problema. Mas atenção: a “faxina” tem que ser diária se o dono do celular tiver contato com doentes, como é o caso de médicos, enfermeiros e técnicos de laboratório. Ou se estiver com gripe, dor de garganta e cárie. Logicamente, deve-se sempre ler o manual para ver se há algum problema em usar álcool isopropílico para limpeza.

Vi no: http://naoacredito.blog.br

Peso Ideal

Para começar, todas as pessoas são diferentes. Há diferenças na massa muscular / massa gorda, a secreção hormonal, a inervação do músculo, etc. A altura, então, é apenas um dos muitos parâmetros para estimar a meta de peso ideal. Então o conceito do peso ideal é baseado em certas bases fisiológicas.

peso-ideal
Devemos também pensar que os homens têm maior desenvolvimento da massa óssea e muscular e o músculo é mais pesado do que o tecido de gordura. É por isso que as tabelas são elaboradas de formas diferentes, temos tabelas de peso teórico para homens e mulheres.
O IMC é determinado pela divisão da massa do indivíduo pelo quadrado de sua altura, onde a massa está em quilogramas e a altura está em metros. Normalmente uma pessoa decide perder peso,  não uma questão de saúde, mas por razões estéticas.

Algumas observações:

Com o ganho de idade é normal também o ganhar peso?
A sabedoria popular diz que com a idade é normal o ganho peso. Isto é totalmente falso. Isso é só mais um mito feito por leigos no assunto.

Perco peso fácil mas também recupero fácil
Para isso á várias razões, mas geralmente, as pessoas estão fazendo uma dieta passageira para alguma ocasião, Isto significa  em casos específicos. Então, quando ela sai da dieta rápido, então o que acontece? O importante é ter um hábito alimentar sustentável, estar sempre comendo bem, não querer emagrecer para uma festa de casamento ou outras ocasiões tem que ter  um plano de dieta confiável e de baixa caloria sempre.

Faço dieta mas passo muita fome, não tenho controle!
Primeiro, em uma dieta só passa fome quem quer. A perda de peso não igual a se afastar de todos os alimentos.
Se você não aprender a comer corretamente, uma dieta boa e balanceada você não passa fome, pois come alimentos do mesmo jeito, a diferença é  que diminuído as calorias e gorduras dos alimentos consumidos. Fazendo isso você não deve nunca passar fome em uma dieta. Uma dieta mal projetada que faz você passar fome .

Antes da menstruação, eu me sinto gorda
Isto é devido à retenção de líquidos que ocorre antes da menstruação. Mas desaparece logo após ela.

Estou preocupada, meu filho está gordo!
O que importa é o porquê. Mais provável de ser devido à ingestão excessiva, muitas horas assistindo TV, a inatividade física e a falta de atividade física. Não se preocupe. Der concelhos a ele para corrigir os seus hábitos alimentares e o incentive a fazer uma atividade física que goste.
Relação de Altura e Peso dos Homens e Mulheres

clip_image001
Essa tabela é apenas um esboço, como dito acima existem vários fatores que mudam.


Vi no: http://emagrecerdietas.com

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Aliança de Casamento

A palavra aliança surgiu por volta do século XV, provavelmente em Provence, na França. Na Antigüidade era comum a troca de anéis de ouro, utilizado pelos gregos, em seguida pelos romanos, firmando-se como tradição na igreja.
As alianças geralmente tem a forma de um círculo, figura geométrica que simboliza a perfeição, a unidade perfeita sem começo ou fim. Para alguns ela representa também santidade, perfeição e paz, assim como o Sol, a Terra e o universo.
O primeiro anel de noivado de que se tem notícia foi dado por Maximiliano I, Rei da Alemanha, a Maria de Burgundy em 1477.

Post da + nova Noiva: EU! hehe


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Garoto de 7 ano tentou comprar um avião de verdade pela internet



Aviões de brinquedo não estão com nada. O negócio é ter um jato de verdade no quintal de casa. Foi isso que um garoto de sete anos de idade, na Inglaterra, tentou fazer. Ele estava pela internet navegando no site de leilões gringo, o eBay, e revolveu clicar em “comprar agora” no anúncio de uma aeronave modelo Harrier Jump no valor de US$ 113 mil.
Porém, o garoto não imaginou que não teria o dinheiro para pagar o brinquedo novo. E seu pai quase surtou quando recebeu a conta do jato.
“Quando o pai do garoto nos ligou, ele desculpou-se com muito pesar. Então colocamos a aeronave à venda novamente. Dessa vez, utilizamos o esquema de venda por leilão, para que não ocorra outra confusão. E desde que o episódio veio à tona, o leilão está indo muito bem”, disse a loja Jet Art Aviation, que é dona do avião.
Ah, o modelo é real, tudo! Só viria sem as armas, algo que deixaria o garoto triste, né?

Vi no: http://msn.techguru.com.br

A verdadeira Disney Landia



 


Vi no jacaré banguela

As melhores brigas do Universo

Dizem que a partir de uma mega explosão nasceu o universo, as flores, as veias mais complexas do nosso corpo, a cerveja e os Alpes Suíços. Discordo, sou criacionista. Mas a lógica por trás disso é reproduzida nas brigas conjugais e, é inevitável concordar: depois do caos realmente nasce o paraíso.

Não importa o nível da briga, pode ser uma discussão boba ou um quebra pau de delegacia, o melhor de tudo é a reconciliação - nunca mais faço isso, não sei viver sem você e declarações robertocarlianas.

Manchas de batom inexplicáveis na gola da camisa, palavra áspera no momento mais sensível, a data esquecida, a piada fora de hora ou o atraso sem motivo, por que isso não pode ser esquecido em um jantar à luz de velas, no cinema com pipoca no fim de semana, no refúgio na cidade próxima e o principal: a enorme vontade de fazer o outro feliz?

Então, caro mancebo e nobre donzela, tire da briga o que ela tem de melhor: faça as pazes, mande flores, um SMS com desenho esquisito, um vídeo toscamente editado, um pedido de desculpas e curta a lua-de-mel pós briga feia. Você perceberá que por mais que não brote nenhuma vida do seu bigbang, o orgulho engolido lhe dará forças para continuar tentando brigar menos.

Texto de Ulisses Lima que vi no: confrur.blogspot.com

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A loira e o Futuro

Alguém me explica o que ela está querendo dizer!?!
video

Transa Gramatical

Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador.

Um substantivo masculino, com um aspecto plural, com alguns anos bem vividos pelas preposições da vida.

E o artigo era bem definido, feminino, singular: era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal.

Era ingênua, silábica, um pouco átona, até ao contrário dele: um sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanáticos por leituras e filmes ortográficos.

O substantivo gostou dessa situação: os dois sozinhos, num lugar sem ninguém ver e ouvir. E sem perder essa oportunidade, começou a se insinuar, a perguntar, a conversar.

O artigo feminino deixou as reticências de lado, e permitiu esse pequeno índice...

De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro: ótimo, pensou o substantivo, mais um bom motivo para provocar alguns sinônimos.

Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeça a se movimentar: só que em vez de descer, sobe e pára justamente no andar do substantivo.

Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela em seu aposto.

Ligou o fonema, e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, bem suave e gostosa. Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela.

Ficaram conversando, sentados num vocativo, quando ele começou outra vez a se insinuar.

Ela foi deixando, ele foi usando seu forte adjunto adverbial, e rapidamente chegaram a um imperativo, todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo direto.

Começaram a se aproximar, ela tremendo de vocabulário, e ele sentindo seu ditongo crescente: se abraçaram, numa pontuação tão minúscula, que nem um período simples passaria entre os dois.

Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula; ele não perdeu o ritmo e continuou a soletrada...

É claro que ela se deixou levar por essas palavras, estava totalmente oxítona às vontades dele, e foram para o comum de dois gêneros.

Ela, totalmente voz passiva, ele voz ativa. Entre beijos, carícias, parônimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais: ficaram uns minutos nessa próclise, e ele, com todo o seu predicativo do objeto, ia tomando conta.

Estavam na posição de primeira e segunda pessoa do singular, ela, agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular.

Nisso a porta abriu repentinamente.

Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo, e entrou dando conjunções e adjetivos nos dois, que se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas.

Mas ao ver aquele corpo jovem, naquela acentuação tônica, o verbo auxiliar diminuiu seus advérbios e declarou o seu particípio na história.

Os dois se olharam, mas viram que isso era melhor do que uma metáfora verbal em exclamação por todo o edifício!

O verbo auxiliar se entusiasmou e mostrou o seu adjunto adnominal. gente. Tudo virou um superlativo absoluto.

Foi chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo.

O substantivo, vendo que poderia se transformar num artigo indefinido depois dessa, pensando em seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história: agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, jogou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa
conclusiva.


Redação feita por um aluno do curso de Letras, da UFPE Universidade Federal de Pernambuco - (Recife), que venceu um concurso interno promovido pelo professor titular da cadeira de Gramática Portuguesa.

Vi no: http://www.vooz.com.br

Receita de Dona Cacilda

Dona Cacilda é uma senhora de 92 anos, miúda, e tão elegante, que todo dia às 08 da manhã ela já está toda vestida, bem penteada e discretamente maquiada, apesar de sua pouca visão.
E hoje ela se mudou para uma casa de repouso: o marido, com quem ela viveu 70 anos, morreu recentemente, e não havia outra solução..
Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando a atendente veio dizer que seu quarto estava pronto. Enquanto ela manobrava o andador em direção ao elevador, dei uma descrição do seu minúsculo quartinho, inclusive das cortinas floridas que enfeitavam a janela.
Ela me interrompeu com o entusiasmo de uma garotinha que acabou de ganhar um filhote de cachorrinho.
- Ah, eu adoro essas cortinas...
- Dona Cacilda, a senhora ainda nem viu seu quarto... Espera um pouco...
- Isto não tem nada a ver, ela respondeu, felicidade é algo que você decide por princípio. Se eu vou gostar ou não do meu quarto, não depende de como a mobília vai estar arrumada... Vai depender de como eu preparo minha expectativa. E eu já decidi que vou adorar. É uma decisão que tomo todo dia quando acordo.
Sabe, eu posso passar o dia inteiro na cama, contando as dificuldades que tenho em certas partes do meu corpo que não funcionam bem...
Ou posso levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem.
- Simples assim?
- Nem tanto; isto é para quem tem autocontrole e exigiu de mim um certo 'treino' pelos anos a fora, mas é bom saber que ainda posso dirigir meus pensamentos e escolher, em conseqüência, os sentimentos.
Calmamente ela continuou:
- Cada dia é um presente, e enquanto meus olhos se abrirem, vou focalizar o novo dia, mas também as lembranças alegres que eu guardei para esta época da vida. A velhice é como uma conta bancária: você só retira aquilo que guardou. Então, meu conselho para você é depositar um monte de alegrias e felicidades na sua Conta de Lembranças. E, aliás, obrigada por este seu depósito no meu Banco de lembranças. Como você vê, eu ainda continuo depositando e acredito que, por mais complexa que seja a vida, sábio é quem a simplifica.. Depois me pediu para anotar: 


Como manter-se jovem:

1. Deixe fora os números que não são essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura.
Deixe que os médicos se preocupem com isso.


2.
Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo.
(Lembre-se disto se for um desses depressivos! )

3. Aprenda
sempre:
Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso.
'Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.' E o nome do Alemão é Alzheimer!

4. Aprecie
mais as pequenas coisas

5. Ria
muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar.
E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele / ela!

6. Quando
as lágrimas aparecerem
Aguente, sofra e ultrapasse.
A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós próprios.
VIVA enquanto estiver vivo.


7. Rodeie-se
das coisas que ama:
Quer seja a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja.
O seu lar é o seu refugio.


8. Tome
cuidado com a sua saúde:
Se é boa, mantenha-a..

Se é instável, melhore-a.
Se não consegue melhora-la , procure ajuda.


9.
Não faça viagens de culpa.. Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente,

mas NÃO para onde  haja culpa

10. Diga
às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade.
 

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Dia dos Namorados

Hoje, é dia dos namorados nos países do Hemisfério Norte, devido a morte de São Valentim.

Há várias histórias que explicam essa data, mas a mais conhecida é a de que no século III, o imperador romano Cláudio II proibiu a realização dos casamentos para que não houvesse impedimento para os rapazes irem para a guerra. O padre Valentim descumpriu a ordem do imperador, realizando casamentos escondidos.
Valentim foi preso,  e sua decapitação ocorreu em 14 de fevereiro, por volta do ano 270 d.C.

Aqui no Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho, por causa da proximidade com o Dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro; e também por ser uma data de pouca movimentação no comércio.

Não importa se em fevereiro, ou se em julho, o importante é celebrar o Amor!
Porque Deus é Amor, nós amamos porque Ele nos amou primeiro! (I João 4:19)

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Noiva é sequestrada na porta da igreja

A estudante de pedagogia Marieli de Lima Correa foi surpreendida por dois assaltantes no momento que esperava, dentro de uma caminhonete, para entrar na igreja e se casar, no dia 22 de janeiro, em Curitiba. Depois que os rapazes, um deles armado, deram voz de assalto, a noiva, a dama de honra, de 10 anos, e mais um casal de amigos foram rendidos e levados a rodar por bairros da capital, por aproximadamente 20 minutos.
No trajeto, um dos assaltantes mastigou o chip do celular de Marieli para que ela não pudesse pedir ajuda. O buquê da noiva foi arremessado da janela do veículo por um dos rapazes. “Pegaram o meu buquê e jogaram no meio da rua. R$ 180 jogados fora”, lembra a noiva.

Em entrevista ao G1, Marieli contou que não tinha certeza se iria voltar para encontrar o noivo. “No caminho que fizemos, eles [os assaltantes] falaram que meu noivo já era viúvo”.


Marilei  assina o abaixo-assinado por mais segurança (Foto: Ariane Ducati ) 
Depois do susto, o casal assina o abaixo-assinado
por mais segurança no bairro (Foto: Ariane Ducati )
Depois de roubarem as jóias, o dinheiro e os cartões das vítimas, os assaltantes deixaram os reféns a dez quilômetros da igreja. Vestida de noiva e de mão dada com a daminha de honra, Marieli pediu ajuda em uma casa e ligou para avisar o noivo, o guarda municipal Glaucio Luiz Correa. Na primeira ligação, o noivo pensou se tratar de um trote. “Eu já estava preparado para um pouco de atraso, quando me ligaram dizendo que ela tinha sido sequestrada, eu desliguei pensado que fosse brincadeira”, conta o noivo.

O casamento marcado para começar às 20h30, teve início às 22h30 quando a noiva voltou para a igreja de táxi. Um buquê foi improvisado com as flores da decoração, as convidadas emprestaram alguns acessórios e, enfim, Marieli subiu ao altar.

“Você imagina que o dia do seu casamento seja perfeito, planeja tudo. Depois que tudo acabou eu só pensava: Deus, eu quero me casar”, disse Mariele.

Depois do sequestro relâmpago e vários roubos no bairro Novo Mundo, o padre da igreja Sagrada Família, decidiu no domingo (6) começar um abaixo-assinado pedindo por mais segurança. Mais de 400 pessoas já assinaram e a expectativa é de que mais de quatro mil moradores do bairro assinem. Marieli e Glaucio já assinaram.


www.g1.globo.com 

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

UFMT abre matrículas para graduados

A Universidade federal de Mato Grosso abriu as inscrições para o processo seletivo de graduados e graduadas. As vagas podem ser ocupadas por pessoas formadas em qualquer universidade, desde que seja em curso de área afim da qual concorre.
Para realizar a inscrição, é necessário encaminhar para o colegiado do curso pretendido um processo (a ser protocolizado na UFMT) entre os dias 07/02 e 11/02.

Saiba mais em: http://www.ufmt.br/ufmt/site/noticia/visualizar/656/Cuiaba

Nova Versão Música Tropa de Elite

video
Vi no: Jacaré Banguela

Tirinhas


terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Jacaré no CPA

video
Os bombeiros foram chamados para resgatar um jacaré que foi levado pela chuva, neste fim de semana, e estava na varanda de uma casa no bairro CPA II em Cuiabá.

A vergonha - Crônica de Luis Fernando Veríssimo sobre o BBB

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 11 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial.

Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 11 é a realidade em busca do IBOPE.Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.


Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados. Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna. Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns). Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros? (Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda {
por que não do próprio Verissimo - afirma Giba} ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade. 


Recebi por email...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

A casa dos Sonhos

Vi no: http://tironas.blogspot.com

Top 10: Os Noivinhos de Casamento mais engraçados










Qual o seu favorito? Deixe nos comentários!

Vi no: http://www.oblogprovisorio.com

Psicólogo Nunca Mais


Vi no insoonia.com

Nunca vamos nos separar


Vi no: http://www.entreveronaweb.xpg.com.br

Amor

Aos casados há muito tempo,
Aos que não casaram,
Aos que vão casar,
Aos que acabaram de casar,
Aos que pensam em se separar,
Aos que acabaram de se separar,
Aos que pensam em voltar...
Reflitam! Todo casal deveria ser...
Por mais que o poder e o dinheiro tenham conquistado uma óptima posição no ranking das virtudes, o amor ainda lidera com folga.
Tudo o que todos querem é amar. Encontrar alguém que faça bater forte o coração e justifique loucuras. Que nos faça entrar em transe, cair de quatro, ficar a babar. Que nos faça revirar os olhos, rir à toa, cantarolar dentro de um autocarro lotado. Há algum médico por perto?!
Depois que acaba esta paixão retumbante, sobra o que? O amor. Mas não o amor mistificado, que muitos julgam ter o poder de fazer levitar. O que sobra é o amor que todos conhecemos: o sentimento que temos por mãe, pai, irmão, filho. Todos são o mesmo amor, só que entre amantes existe sexo.
Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja.
O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus. A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta.
Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.
Casaram. Amo-te, amo-te... Meu amor... Lindo, mas insustentável.
O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas. Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso. É preciso que haja, antes de mais nada, respeito. Agressões zero. Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência...
Amor, só, não basta. Não pode haver competição. Nem comparações. Tem de haver equilíbrio para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem de haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades. Tem de saber levar. Amar, só, é pouco. Tem de haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar. Tem de haver disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar. Tem de ter um bom psiquiatra. Não adianta, apenas, amar. Entre casais que se unem visando à longevidade do matrimônio tem de haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um. Tem de haver confiança. Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou.
É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, 'solamente', não basta. Entre os homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem de haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado. O amor é grande, mas não é dois. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta. 

Texto atrubuído a Arthur da Távola

O que é ser chique?


Não ficarei tecendo alusões filosóficas sobre o que é ser chique.
Mas acho que a tira acima já é suficiente para que reflitamos um pouco sobre a moda, os conceitos, os valores desse mundo em que temos vivido.
Ser chique é ser feliz!

Despedida do Trema


Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o trema. Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüiféros, nas lingüiças e seus trocadilhos por mais de quatrocentos e cinqüenta anos.
          Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!...
          O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio... A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. Os dois pontos disseram que eu sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.
          Até o cedilha foi a favor da minha expulsão, aquele C cagão que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I. Desesperado, tentei chamar o ponto final pra trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências, mas ele negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são os estrangeiros, é o K, o W "Kkk" pra cá, "www" pra lá.
          Até o jogo da velha, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar TÜITER. Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou. Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...
          Nos vemos nos livros antigos. saio da língua para entrar na história.
          Adeus,
          Trema.
 


 Ótimo texto. Fiquem atentos as mudanças da reforma ortográfica que vem com tudo em 2012.
Recebi por email!